terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Aos troncos e barrancos

As vezes gosto de estar mais distante
mergulhar em profundos pensamentos
acomodado na linha do instante
alcanço a raiz de meus tormentos

Lembro da imagem de muitos momentos
algumas são bastante interessantes
códigos de interesses, juramentos
lamentos programados, estressantes

Porém é chegada a hora do corte
Da poda que faz a planta mais forte
Quebra o meu galho e sigo adiante

Mas sigo olhando pro rumo da sorte
Até já corri por falta de norte
hoje já busco por passo constante

Nenhum comentário:

Postar um comentário